Histórias de eventualidades, improbabilidades, bicharadas, noitadas e coisas do arco da velha que de alguma forma me acabam sempre por acontecer. Crónicas diárias com a matilha, muita bicharada à mistura, muita música e sempre com um humor caústico como muita gente gosta de o caracterizar.

03/07/2009

Quis custodiet ipsos custodes?


Quem me conhece sabe que acho o Watchmen um dos livros mais magníficos que já li, pelo nihilismo, a esperança, a humanização das personagens, enfim uma carrada de coisas (sou tão eloquente nas minhas críticas literárias).
Primeiro, o sucesso do filme, acho que sofreu do síndrome "Fight Club", quem via o trailer pensava que era um filme de porrada e não ia ver, os que pensavam que era um filme de porrada e iam ver achavam o pior filme que já tinham visto. Aqui é a mesma coisa, quem ia à espera de ver um homem-aranha saía frustrado e quem já sabia que ia ver o Watchmen, prosseguia já com as expectativas elevadissimas.
Ontem arrisquei a ver, é daqueles filmes que tem de se estar no espírito certo. Adorei o filme, mas acho que é um filme feito por um fã e para fãs. Quem não for apanha seca ou acha o final estúpido (que eu até achei boa ideia, se eles vissem o do livro ia ser bem pior). Eu adorei ver a máscara do Rorschach, a Silk Specter, o Archie e a Bubastis no grande ecran. Sem dúvida um filme que vou ver e rever. Mas que recomendo que tomem precaução. Se não leram o livro vão ficar um bocado às aranhas.
P.S. - Não recomendado para pessoas sensíveis.


Bob Dylan - The Times They Are A Changing

2 comentários:

Yu-Tzu disse...

I used that line a few months ago. Copyright? lol

Ana disse...

Ja viste a seca que eu teria apanhado??!!!
E nao vimos a Criolina...
Essa sim