Histórias de eventualidades, improbabilidades, bicharadas, noitadas e coisas do arco da velha que de alguma forma me acabam sempre por acontecer. Crónicas diárias com a matilha, muita bicharada à mistura, muita música e sempre com um humor caústico como muita gente gosta de o caracterizar.

15/12/2008

O carrossel dos esquisitos

"Porque é que não me posso dar com pessoas normais?", esta é uma frase muitas vezes repetida pela Catita, às vezes fico a pensar no mesmo. A maioria dos meus amigos têm uma panca qualquer. Ou ele é a bicharada, ou um hobbie mais estranho e se não é um hobbie é os maneirismos ou o background.
E pegando ainda no post da amiga mega em que falava de popularidade, esta gente era os freaks, os nerds, os geeks, os anormais com o nariz enfiado nos livros, os asmáticos das aula de educação física, os que eram levados ao poste com regularidade pontual ou que levavam carolos no totiço apenas "porque sim".
A verdade é que esses tótós de ontem são os adultos de hoje, e são as pessoas mais interessantes que conheço, são os que se consegue ter uma conversa sem ser sobre a novela da TVI ou o motor do novo BMW. Têm uma vida interessante, muitos ainda sem saberem muito bem o que querem ser quando forem grandes embora já estejam nos trinta mas continuam à procura. A maioria têm empregos que embora paguem bem para a média do país, fariam o dobro ou o triplo se trabalhassem noutro país.
As pessoas normais ganham entre 400 e 700€, trabalham das 9 às 18, vêem o Preço Certo, discutem o próximo capítulo da novela da moda, lêem a revista Maria.
E amiga Mega, os populares do secundário, as misses Escola Secundário de Vai que Já Lá Ficas, os bonzões com as miúdas todas atrás deles. Esses levam vidas desinteressantes, como recepcionistas, caixas em supermercados ou serventes de pedreiro (embora ganhem mais que eu) com 1,8 filhos e uma station wagon da Volkswagen e passam férias no AlLgarve.
Faz-me lembrar este anúncio da Apple (marcas à parte):



Este ano, vou beber uma mine pelos esquisitos!

2 comentários:

nalga disse...

Pois é amigo Samuel, nessa panóplia de gente com gostos estranhos podes juntar os espeleólogos.
A publicidade da Aple está barbara.
Um grande abraço lamacento.

S. C. disse...

Oh se posso, gente estranha essa que gosta de passar a vida sempre enfiada em buracos. ;)
Abraços