Histórias de eventualidades, improbabilidades, bicharadas, noitadas e coisas do arco da velha que de alguma forma me acabam sempre por acontecer. Crónicas diárias com a matilha, muita bicharada à mistura, muita música e sempre com um humor caústico como muita gente gosta de o caracterizar.

10/04/2009

A lavagem dos pés


Por muito que eu goste de considerar que é o meu imenso charme e a minha beleza que faz as mulheres todas presentes numa sala sorrirem para mim com um olhar maroto assim que entro numa sala, a minha experiência pessoal diz-me que não costuma ser o caso. Assim se passou na quinta-feira quando entrei em casa de uma amiga para lhe arranjar o pc e todas se começaram a rir para mim. Normalmente estou tramado, ou ele são perguntas sobre a natureza masculina ou então precisam de qualquer coisa. É claro que o "Pronto, já foste!" proferido por uma amiga na sala confirmou todas as minhas piores expectativas!
"Precisamos de homens!", esta frase num contexto de uma sala cheia de mulheres poderia ser facilmente levado para outras conotações, é claro que essas conotações se perdem todas quando se trata de um grupo de mulheres casadas com os maridos na porta ao lado, elas atarefadamente se encontram de volta de máquinas de costura e ferros de engomar rodeadas de togas.
"Precisamos que vás à missa para te lavarem os pés", após o meu olhar incrédulo de "Vá, agora a sério, digam lá que precisam que eu faça", apercebi-me que estavam mesmo a falar a sério. Como quem me conhece, sabe que tenho uma dificuldade séria em proferir a palavra "Não", lá acabei eu de toga branca sentado atrás do altar tentando seriamente não me rir das figuras ridículas que estávamos a fazer. Mas o pior vem a seguir ...
Ora eu não sou exactamente um cristão celebrante (o pároco da freguesia explicou-me a diferença entre celebrante e praticante numa conversa bem interessante que tivemos a seguir) a maioria dos rituais católicos passa-me um bocado ao lado. Assim, só me apanham na missa, ou em casamentos, ou em funerais ou em ocasiões muuuuuito especiais. Assim o ritual de lava-pés passa-me um bocado ao lado. De qualquer forma achei que era bom tom tomar uma banhoca apressada e cortar as unhas, já que por muito jeito que elas dêem para subir às árvores, não são exactamente muito estéticas em toga branca, assemelhando-me mais a um abutre com séria deficiência de pigmentos.
Lá passei eu a missa cheio de frio nos pés à espera do momento fulcral em que os meus pés seriam lavados pelo sacerdote. Ora, anteriormente tínhamos sido avisados para manter uma postura séria durante a cerimónia. Algo que se torna particularmente difícil quando estamos descalços, vestido num lençol branco e com um adulto a lavar-nos os pés, mas o mais bizarro viria a seguir. Não bastando a lavagem, receberia ainda um chôcho no peito do pé. Mas superei a prova, mesmo quando todas as minhas fibras se retorciam para largar uma gargalhada que ecoaria pelas paredes da igreja, bastou-me pensar na declaração de IRS deste ano que toda a minha vontade de rir se desvaneceu.

4 comentários:

Dali disse...

Bem, gerou-se uma discussão cá em casa em torno da questão: "foram ou não foram descalços?"

Eu dizia que não, afinal estava errada...

sabes qual é a mensagem do lava pés?...O único que deve liderar deve ser o Senhor, os outros devem ser os seus servos.

:(

[não sei se gosto...]

S. C. disse...

Segundo o que percebi é um sinal de humildade e igualdade. Mas as minhas interpretações da bíblia não costumam ser as mais correctas ...

Ana disse...

Há filmagens desse episódio bíblico?

S. C. disse...

Era uma cerimónia solene ...