Histórias de eventualidades, improbabilidades, bicharadas, noitadas e coisas do arco da velha que de alguma forma me acabam sempre por acontecer. Crónicas diárias com a matilha, muita bicharada à mistura, muita música e sempre com um humor caústico como muita gente gosta de o caracterizar.

09/02/2008

O pygmaeus


Finalmente mais um dia de ir para o mato. Com o solzinho destes nem apetecia ficar em casa e ainda bem. Armado de camaroeiro, caixinha para tirar fotografias (que aconteceu àquelas caixas tão catitas para telemóveis?) e máquina fotográfica e lá fui eu à procura dos Triturus pygmaeus deste ano. Infelizmente os gajos estavam à paisana e não foi possível encontrar muitos. Aliás só encontrei mesmo um macho em cores de reprodução mas com uma crista que ainda precisa de crescer um pouco para ficar em vestimenta completa de reprodução.
O resto do dia foi procurar cordyceps e escalar os mega-lapiás lá da zona, com um solzinho que já lembrava primavera. Tanto que até o nariz já estava convencido, pela quantidade de muco que saía das minhas fossas nasais. Cordyceps também não encontrei nenhuns. Hoje não andava com muita sorte, ou então não via nada com os olhos inchados das alergias. Para ajudar a cadela também anda a mudar o pêlo, assim são quantidades fenomenais de pêlo a voar pelos ares quais dentes de leão em dia de vento. Quando corria parecia a Maria von Trapp nos alpes tal era a profusão de pêlo pelo ar.
Amanhã, acho que vou passar o dia de molho. Com cházinho e bolachitas no sofá com o meu grande amigo Zirtec. E eu que não me apetecia nada ficar em casa. Com sorte isto passa ... Ou não ...

2 comentários:

Fuzhong! disse...

grandes fotos! Podem ser modelo de um projecto de ilustração? Depois exponho o resultado.

Abraço

S. C. disse...

Sim, podes usar.
Diz-me se necessitares de mais de caudatas portugueses, ou de outras fotos de pygmaeus.