Histórias de eventualidades, improbabilidades, bicharadas, noitadas e coisas do arco da velha que de alguma forma me acabam sempre por acontecer. Crónicas diárias com a matilha, muita bicharada à mistura, muita música e sempre com um humor caústico como muita gente gosta de o caracterizar.

11/02/2008

Os abraços

Hoje fiquei agradavelmente surpreendido. Ia eu nas minhas calmas a descer a Avenida Heróis de Angola quando olho para o Teatro José Lúcio da Silva onde estava um rapaz com um cartaz "Abraços de Borla". Para quem não conhece, pode ver



e Free hugs campaign.
A história começou com Juan Mann que se estava a sentir em baixo e decidiu melhorar a vida de perfeitos estranhos dando-lhes um abraço. Se à primeira vista as pessoas estranhavam algum tempo depois já tinham entranhado e já andavam aos abraços uns aos outros. Contudo a polícia decidiu que aquilo era uma manifestação pública e como tal tinha de ser regido pela lei das manifestações públicas e tentou acabar com o "evento". Ao bom estilo português (embora não o fossem) revoltaram-se e fizeram uma petição para impedir a proibição das actividades "free hugs". Foram bem sucedidos mas não antes de se tornarem o foco da atenção da comunicação social.
Ora a iniciativa correu mundo e já começa a ser encontrada uma pouco por toda a parte. Senão vejam este exemplo aqui em Portugal no Porto,



E se um dia um desconhecido te oferecer Abraços, é a "Free Hugs campaign", a ideia mais original que já apareceu por aí nos últimos tempos! E hoje estava um rapaz a oferecer "Abraços de Borla" em Leiria.

2 comentários:

Ana banana disse...

olha que já pensei duas ou três vezes fazer isso cá no Entroncamento. É sem duvida uma excelente iniciativa...

há alturas em que um abraço faz maravilhas! ;-)

S. C. disse...

Sem dúvida!